Para quem não está muito ou mesmo nada habituado a participar em passeios, a perspetiva de ter que conduzir seguindo as indicações expressas num roadbook pode parecer algo estranha. Visto do lado oposto, para os mais habituados é uma mais valia e um atrativo poder participar na "Expedição" seguindo o roadbook.

Falando um pouco para os menos habituados:  O nosso roadbook está concebido com uma linguagem clara e precisa, fácil de entender, e com gráficos que permitem rapidamente perceber qual a configuração do ponto em que o participante se encontra.  A sua utilização tem várias vantagens quando comparado com qualquer outra forma de navegação, sendo a mais importante permitir transmitir aos participantes informação clara e precisa, sobre o caminho a seguir e sobre alguma característica especial de um determinado ponto, ou mesmo avisar de perigos.

Já agora, o "Roadbook" é um documento que contem as indicações sobre o percurso, dadas de forma sequencial, com informação sobre as distâncias percorridas, total e parcial, coordenadas GPS do ponto onde se encontra, descrição em texto do caminho a seguir e uma imagem que ilusta o local e indica a direção a seguir.

Poder-se-á pensar que "com o roadbook vou ter que ir sozinho". Nada disso. Os participantes até podem seguir agrupados caso assim o desejem, embora não seja essa a nossa recomendação.  Nós achamos que se deve dar alguma distância, por causa do pó se houver e para permitir alguma correção na rota caso seja necessário.   E se alguém se enganar e seguir para o lado errado, todos e cada um têm na sua mão a ferramenta que permite evitar os erros do percurso.  De qualquer forma, nós temos sempre um carro a fechar a caravana, pelo que em caso de alguma duvida ou problema, ele estará lá sempre para ajudar.

Os roadbooks estão feitos de forma a que se possa usar o conta quilómetros do carro, mas para facilitar um pouco mais, nós recomendamos a utilização de uma pequena aplicação chamada GPS TRIP (  http://www.gpstrip.net/ ) para smartphones e tablets Android, que para além de ter sido feita por um Português, é gratuita e muito precisa.  A pessoa que levar o roadbook pode utilizar esta aplicação e o GPS do equipamento para medir as distâncias com uma precisão incrível, reduzindo drasticamente qualquer hipótese de erros.

Para quem gosta mais de tecnologias, ainda disponibilizamos o Track GPS, para que quem tenha equipamentos compatíveis possa descarregar e utilizar no seu navegador.

Seja qual for a sua opção: Em caravana, com o roadbook, com o track GPS ou mesmo com todos estes eles elementos, a sua viagem é simples, fácil e divertida.

Nós não usamos nos nossos percursos setas, fitas ou outros sinais por vários motivos.  É uma opção que utilizamos desde a primeira edição, e que tem sido muito bem acolhida quer pelas autoridades e quer pelos proprietários dos terrenos atravessados.  Os participantes também têm compreendido esta nossa decisão, e ao verem o detalhe que colocamos no roadbook rapidamente percebem que é desnecessário qualquer marcação no terreno.  

Esta primeira imagem é uma imagem de teste e que exemplifica aquilo que é uma pagina padrão do roadbook.

Esta segunda imagem é do Roadbook da 6ª Expedição.  Aquilo que é o roadbook propriamente dito é a coluna á direita, com os numeros e desenhos.  Já  a parte da imagem de satélite, mostra um pequeno troço do passeio, que tem tradução precisamente na coluna do lado direito, mas que não aparece nos roadbooks.


Com a maioria das decisões do programa tomadas, por estes dias preocupamo-nos sobretudo com o roadbook e com os percursos da 6ª Expedição ao Montado
Esta edição da "Expedição" tornou-se num desafio particularmente interessante por vários motivos.

 

Este texto é dirigido em especial ás pessoas que têm um SUV como o X-Trail que aparece na foto acima ou até um 4x4 mas que nunca fizeram um passeio, mas cuja curiosidade em participar existe, escondida por detrás de algum receio de estragar o carro ou então de não conseguir seguir todo o percurso.